quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Poderia????

Poderia dizer eu o teu nome, no silêncio que decorre entre duas sílabas, poderia eu acudir ao amor que morre, no silêncio que decorre entre dois corações…

Poderia eu, ser aquele que lê a tua vida em cada página do livro de páginas brancas, e te escreve atrevida … sentida… ferida.. ou simplesmente fodida…

Poderia fazer eu, o amor polido pela dor, cravado de emoções, sem terminar de escrever esta memória não esquecida…

Poder até poderia…mas ficará para outro dia…pois hoje acontece… que justo não seria porque... hoje apenas não me apetece…

Beijos e Abraços
Das Chamas do Fénix

16 comentários:

Pandora disse...

Pronto, não apetece, não apetece!
Se é isso que a tua consciência diz...
Só tens de estar em paz contigo mesmo!

Beijo grande

Rita disse...

Não apetece??? Não apetece???
Então tá bem...
Jokas

Silvia /('.')\ disse...

eu poderia não ouvir seu nome no barulho das palavras,
poderia deixar o amor morrer
e não quebrar o silêncio de dois corações.
poderia nunca ter lido as páginas de tua vida.
poderia renunciar ao amor.
eu poderia?
não. isso não me apetece.
:)bjs

mjf disse...

Olá!
Se tu o dizes...eu concordo...
nunca te iria contariar amigo.

Beijos e bom fim d semana

No Túnel... disse...

Poderias?? Sim, acho que sim. Sejam quais forem as circunstancias tudo se pode...

Mas se não te apetece, não te apetece...

Uma chama para ti.

Abraço

Carla disse...

não apetece hoje, mas amanhã é outro dia!

Parvinha da Silva disse...

Encanta-me a forma desta carta/poema.

Interpretá-la é-me difícil.
Detenho-me no último parágrafo e leio-o como lamento na primeira pessoa: hoje acontece que me não apetece - para mim, justo não seria - pois apenas o hoje me ofereces

Um abraço apertado

Afrodite disse...

um amor moribundo que sangra ...

Mando disse...

olha hoje tb não me apetece...:D

abraço...do mando...

Gerlane disse...

Singularmente poético e objetivo.

Beijos pra ti!

Parvinha da Silva disse...

escrevi-te um haiku:

Jíshǒu Bǎojìng
Huāyuán Gǔzhàng Lúqī (
Chénqī Xùpǔ Yuánlíng Fāngyán Xiāngyǔ
Pen Ts’ao Kang Um

Iana disse...

Das ilusões, trago comigo o encanto de amar e pensar em ter sido amada também.
Por quantas vezes respirei fundo para controlar os meus anseios...

Deste livro que hoje reli, vi partes da minha vida, repletas de coisas boas, mas também de muitas lágrimas, e me pergunto: Porquê?

Então!
As lágrimas fazem parte da nossa vida, lágrimas de alegria, de dor, de perdas, de paz, de tristezas, dos desamores e dos amores que se vão!
Lágrimas de comemorações, de ver um filho chegando ao mundo, de ver sonhos desfeitos e outros sonhos realizados!

Lágrimas por perder alguém especial, ou por aqueles queridos que partem para um outro mundo e nos deixam aqui, com as lágrimas e as lembranças...De que um dia nos fez chorar de alegria....

Beijo
Iana!!!

PS: Desculpa pela invasão!!! Lol....

SílviA disse...

Eu quando quero muito algo uso o APETECE-ME.

Logo,há que respeitar o não apetece, que trará com certeza um apetece-me ainda melhor :)

Beijinhos

O renascer da Fenix disse...

Amigos...

Nos podemos fazer ou deixar de fazer muitas coisas… mas amar é daquelas que não depende da nossa vontade…
Ou se ama ou não se ama… o que não quer dizer que por vezes nos apeteça gritar…
HOJE NÃO ME APETECE AMAR-TE

Uma Grande Chama para todos

Pandora disse...

Que mauzinho!
Vá lá amolece o coração...
Bj

Pandora disse...

Que mauzinho!
Vá lá amolece o coração...
Bj