terça-feira, 7 de outubro de 2008

Como é o Fénix?



Dialogo com a irmã Fénix

IF – Como estás?

F – Sempre bem...como sempre

IF – Pois... pelo menos é o que dizes

F – é, sempre digo o mesmo

IF - Nunca te abres... nunca falas de ti

F – Não gosto de falar de mim

IF – Pareces um cofre ou a Carteira de um patrão... sempre fechada

F – Não gosto de falar de sentimentos principalmente do meus, prefiro escrever

IF – Nesse aspecto eu sou melhor que tu consigo abrir-me, tu não... consegues ser um perfeito estranho


Agora eu pergunto... aos que me lêem acham que com o que escrevo, com o que exprimo em cada linha que aqui lanço à vossa consideração...Acham que necessito falar como estou, como sou, como sinto?
Não está tudo aqui?
Basta ler ... talvez reler ... pensar... espreitar nas entrelinhas e o Fénix fica nu aos vossos olhos... mas vocês dirão...


Beijos e Abraços
Das Chamas do Fénix

23 comentários:

Pandora disse...

És completamente transparente com o que aqui escreves. Os teus poemas são um reflexo do teu estado de espírito ou do teu dia a dia.

Beijo

Paula disse...

Não concordo inteiramente que se conheça alguém apenas pelo que escreve!
Costumo defender que eu não sou as frases que escrevo, nem os quadros que pinto...
Somos muito mais para além daquilo que fazemos.
Uma coisa é o que fazemos, o que temos, outra coisa o que realmente somos. E esta parte fica sempre um mistério até para o próprio!
Porquê? Porque não podemos prever como iremos reagir ou agir perante determinada circunstância! Portanto, por muito que digamos ao outro que somos assim ou de outra maneira, a verdade é que na prática podemos não o ser.
Aliás o ser humano sendo um ser em transformação permanente, não só ao nível físico como ao nível mental, quando muito podemos ir conhecendo à medida que o processo evolutivo se realiza... Nunca chegamos a conhecer completamente uma pessoa...
Mas... podemos estar muito perto da sua essência se ela abrir o coração e nós também.

Borboleta Selvagem disse...

Dizem que as palavras que escrevemos são sons da nossa alma! Gemidos, gritos, sussurros… ás vezes são doces… as vezes são amargas e fortes… mas, não há outra maneira mais pura de mostrar como somos por dentro…

Um resto de bom dia...Bjos

Fátima

Anónimo disse...

Concordo inteiramente com a Paula creio ser impossível conhecermos plenamente alguém, quer pelo facto de haver vertentes que nunca nos são reveladas, quer porque nem a própria pessoa se conhece plenamente (há sempre uma área em descoberta)...
Há pessoas com mais capacidade de se abrirem do que outras, pessoas que expõem os seus sentimentos com relativa facilidade e outras que se fecham num casulo e deitam a chave fora para que ninguém entre!
No entanto, por vezes acontecem situações que permitem alterar esta situação...um blog, por exemplo (com o relativo grau de anonimato que suscita), um texto ou alguém que nos toca como nunca imaginamos ser possível... em situações destas podemos abrir o nosso "cofre forte" numa percentagem muito mais significativa.
Talvez por isso ache que de alguma te expões aqui no blog de uma forma que não o fazes diariamente...mas não acredito que o faças plenamente!
BN

Azula disse...

Olha, eu cà, sou da opinião de que a escrever é que se fala, por incrivel que pareça!

Para mim, nas mais variadas situações, é-me mais fàcil escrever o que me vai na alma, do que dize-lo.

Se o Fénix é ou não o que escreve?
Tem-me parecido que sim.
Então para qué tanta duvida?
Està-me mas é cà a paracer que a tua irmã não lé là muito o teu blog...
:)

mando disse...

bem relembro um post que puses-te aqui á uns tempos a perguntar se te conheciamos...e parece que até te conheciamos bem! por isso...

mas também sou da opinião que ás vezes custa mais falar do que escrever!...mas isso vem de cada um...

abraço do mando!...


P.S. se tomares uma vacina escolhe sempre um enfermeiro! hehhehee

Shakti disse...

Queres sinceridade...tens sinceridade...

Os teus textos são transparentes , emitem emoções e imensos sentimentos...se serão verdadeiros , penso que sim , mas não te conheço o suficiente para o poder afirmar .

Gosto do que leio ,quando aqui venho e muitas vezes nem sequer transponho isso para uma realidade , as palavras são sentidas , mas com sentimento da altura e isso conta muito...

Se te conheço ...olha não sei...penso que sim , mas também penso que não ...

Se gosto de aparecer por aqui...isso posso afirmar sempre que sim...

Se vou desvendando um pouco do Fénix ??
Eu própria não o sei, mas gostava de pensar que sim...

Por isso e para concluir...para mim não és assim tão transparente...talvez como a tua irmã diz...pareces um cofre , mas com o código quase por desvendar...isto para mim , está claro !!!

bjs

As Chamas do Fénix disse...

Pandora...

Se tu o dizes é porque o sentes...é porque o sabes...

Uma grande Chama para ti...beijos

As Chamas do Fénix disse...

Paula...

Amiga tens razão... não se pode conhecer exactamente uma pessoa pelo que ela escreve, claro que não eu por vezes escrevo coisas que flúem de dentro de mim e nem eu próprio sei porque as escrevo... simplesmente o faço...
Sou uma pessoa fechada por natureza, não gosto de expor o meu íntimo... simplesmente prefiro abordá-lo na escrita.... Amiga acredita que na minha escrita está muito mais de mim do que possas pensar... embora eu seja uma Fénix que passa o tempo a renascer das cinzas... acredita que a base do que sou renasce praticamente sem alterações...
Pronto peço desculpa por nunca ter colocado uma foto do meu rosto no blog, de nunca ter colocado o meu numero de telemóvel, o numero da Segurança Social, o NIB, o NIF, o grupo sanguíneo... mas quem sabe um dia :o)

Uma grande chama para ti... beijos

As Chamas do Fénix disse...

Borboleta Selvagem...

Pelo menos enquanto escrevo acredita que sai tudo de cá de dentro...

Uma grande chama para ti... Beijos

As Chamas do Fénix disse...

Anónimo BN

Não o faço plenamente, porque cada vez que a chave foi entregue e as pessoas entraram deixaram a casa numa lástima... repara que até aqui no blog e sem eu dar a cara houve que tivesse a capacidade de me tirar a chave do bolso e entrar...enfim...

Uma grande chama para ti... Beijos ou Abraços

As Chamas do Fénix disse...

Azula...

E tenho a ideia de que a IF não tem duvida que eu sou o que escrevo, mas também não tem duvida que sou mais do que o que escrevo...
Ou seja eu acho que ela se queixa é que a minha partilha convosco é a mesma que com ela... com a nuance que ela é minha irmã, e acho que com esse laço de sangue queria ter direito a um tratamento mais próximo, mais intimo... mas eu não consigo ...
Quanto ao se lê ou não lê muito ... sinceramente acho que não.


Uma Grande Chama para ti... Beijos

As Chamas do Fénix disse...

Mando...

Sim mas esse post não falava muito de sentimentos pois não... falava mais de carninha... gostos, loucuras...
Desculpa mas prefiro uma enfermeira... imagina que me acontece como na canção do Quim Barreiro...”Foi picada de enfermeiro” ...heinnnnnn

Uma grande chama para ti...Abraços

As Chamas do Fénix disse...

Shakti...


Acho que minha irmã pensa como tu...
“Se te conheço ...olha não sei...penso que sim , mas também penso que não ...“ achas que tenho a combinação quase descoberta bolas.... obrigado vou já trocar os números..

Uma grande Chama para ti ... beijos

Anónimo disse...

Começo a minha participação por dizer que é a primeira vez que escrevo num blog, e que talvez lhe apanhe o gosto, embora de vez em quando, até devido à minha profissão faça os meus percursos como cibernauta para me manter a par do que se passa. Mas confesso que me detenho mais em aspectos gráficos, umas vezes por falta de tempo outras por falta de interesse. "my mistake"?! Talvez!

Prefiro caminhar, cozinhar, desenhar, fotografar... e em matéria de leituras prefiro os livros. Gosto de tocar no papel, gosto do toque.

Passo os dias colada ao computador e de que maneira! E claro, ao contrário do Fénix, a escrita não é o meu forte! Cada um é para o que é, ai penso estarmos todos de acordo.

Poderão perguntar-se alguns, para que é que esta conversa toda interessa?! Interessa, porque rompo a minha rotina e eventuais medos e arrisco escrever, talvez na esperança que outras rotinas se rompam e se arrisque conversar abertamente, abraçar, olhar os nos olhos, chorar, enfim... fazer um sem fim de coisas que felizmente, e repito F E L I Z M E N T E, a Internet não pode substituir.

Reflecti sobre algumas interrogações que o Fénix deixou no post: "Acham que necessito falar como estou, como sou, como sinto? Não está tudo aqui?" Quanto à primeira pergunta, só tu poderás saber se necessitas ou não falar. Quanto à segunda pergunta, em minha opinião, obviamente que não, não está tudo aqui!

Fora daqui estão os abraços, os choros, os risos e os sorrisos e muitas outras formas de partilha, está um sem fim de coisas que são, em última análise, aquilo que nos faz ter uma vida para além da Internet e da escrita. São a vida!!! O escrever abertamente sobre o que se sente é sem dúvida um acto corajoso, belo, quiçá terapêutico... é sem dúvida de louvar (por sinal, parabéns Fénix!). No entanto, se a escrita fosse uma partilha suficiente com aqueles que se ama e com os quais é suposto ter-se alguma intimidade (esta palavra ainda me parece redutora!), dispensaríamos algumas ligações vitais. Imagino que todos os que aqui deixaram os seus comentários tenham essas ligações, pelos menos algumas. Refiro-me a filhos, pais, namorados, amantes, amigos, e tudo o que queiram acrescentar, ou retirar...

É complicado explicar o meu ponto de vista, estou-me a ver à rasca, juro que estou! :) Mas vou dar mais um exemplo, num exercício meio tonto mas que espero me ajude nesta luta f..... de me exprimir através da escrita! Quem já leu, por exemplo, Herberto Helder (fantástico por sinal)? certamente a maioria, se não leram recomendo vivamente. Agora mais difícil... quem pode dizer que o conhece? E quem conhece a Clara Ferreira Alves? Escreve crónicas arrebatadoras, costumo lê-la com frequência, mas nunca consegui entender se é FELIZ! Será que é Feliz? E o Fernando, sim o Pessoa, hhhhuuuummmm, não me parece que tenha sido feliz! 5 heterónimos!?!?! HI5!? hahahaha! eu é que não queria ser amiga dele, xiça! - Oh Fernando, vamos tomar um café? quem vai aparecer hoje...o Ricardo, o Álvaro!? hahahaha, isto é giro! ainda lhe ganho o gosto!

Agora a sério, deixo aqui um desafio, principalmente aqueles que consideram a escrita como suficiente forma de expressão e conhecimento! Experimentem relacionar-se com os vossos entes mais queridos exclusivamente através da dita e boa sorte nessas novas aventuras do conhecimento. Eu cá continuarei na minha aventura, talvez utópica, de acreditar que é nos afectos e na confiança que está a chave para todos os cofres se abrirem.

Sejam Felizes!

Beijinhos a todos, eu vou navegar...

Irmã do Fénix

As Chamas do Fénix disse...

Querida Mana...

Vamos a isto então...

Eu gosto de escrever ... gosto... assim como gosto de ler...da noite...do amor...da família...dos amigos...
A minha vida, como bem sabes não é só escrita... ate porque antes do dia 30 de Novembro não tinha blog mas estava vivo...
Nestes meus 34 anos já tive imensas experiência umas muito boas outras muito más, tu sabes de algumas delas e de outras prefiro que ninguém saiba nem mesmo tu... elas foram moldando o que hoje sou ... só que azar do caraças.. sou uma pessoa fechada... e o acumular de tantas experiências não partilhadas começou a não ter espaço dentro de mim... senti a necessidade de partilhar de alguma forma os meus desejos, os meus problemas, os meus sentimentos... tu tens em certa medida o mesmo problema porque foste criada no mesmo ambiente... mas ainda assim consegues falar... nem que seja com a tua psicóloga, eu com o meu só bebo copos :)
Acredito e dou-te a razão em muitas das coisas que dizes, mas também tens de me dar a razão quando eu digo que hoje nos relacionamos muito melhor que há uns anos atrás... eu mudei e tu também, pelo menos já nos falamos ... assim que não te queixes muito.
Mana a escrita para mim por vezes são gritos lançados ao acaso na esperança que batam nos ouvidos certos... costumo dizer que estou sempre bem... embora por vezes só me apeteça morrer... mas não faz parte de mim carregar os outros com os meus problemas... já o avô Fénix era assim, o Pai Fénix é assim e eu também sou assim só que duma forma mais potenciada.
Se necessitas desabafar ... comigo estás à vontade... se necessitas do meu conselho estás à vontade... se necessitas do meu ombro tenho dois... se necessitas de um abraço também estou aqui para isso... mas eu não consigo procurar-te para partilhar... sou incapaz... assim que o melhor é continuares a ler...
Recordas o que sentiste quando te telefonaram a dizer que o mano tinha tido um acidente...
Então sem palavras existe o mais importante... os laços e amor e de sangue...as palavras essas duram o tempo de um som... os sentimentos são eternos... para lá da vida e da morte...

Uma grande chama para ti...beijos, abraços, palavras, carinhos e obrigado pela tua intervenção

Anónimo disse...

Agora fiquei sem palavras... porque as que li comoveram-me!
Talvez afinal se possa abraçar através da escrita...

beijinhos e obrigada!
Como diz o outro... o caminho faz-se caminhando!

I.F.

margarida disse...

ooh. voces sao tao fofinhos.

[nao estou a brincar]

concordo com a mana, ha coisas que nao conseguimos expressar através da escrita.
e nao acredito que basta ler um blog de uma pessoa para ficar a conhece-la..obviamente fica-se com uma ideia sobre ela, mas nao basta.

por isso.. o convivio :] e é tão bom partilhar sentimentos, conhecimentos, ideias, desgostos.. com as pessoas que estão à nossa volta!

e isso é que é ser feliz.

[as pessoas estão sempre à espera de serem felizes, e depois esquecem.se que a felicidade se faz todos os dias]

margarida, colega da mana F

Anónimo disse...

Margarida, tu és LINDA!

Sê feliz!

beijinhos *****

I.F.

AnaMar disse...

Eu que utilizo as palavras para me libertar, mas acredito que nelas vão um pouco de mim, que quem me lê, vai ficando com uma ideia...mas continuo a acreditar que os conhecimentos se fazem olhos nos olhos. Nisso , sou inflexível.

Bjs para todos

Paula disse...

Bem... estou emocionada com o texto da mana. Concordo com ela. Conhecemos as pessoas pelos afectos, pelo carinho que possamos ter, pela partilha de situações boas e menos boas.
O problema de não nos conseguirmos abrir e falar dos nossos anseios e preocupações a toda a gente, pois é natural.
Tenho um irmão e não lhe digo tudo o que me vai na alma. Porque ele não ia entender, porque talvez fizesse um juízo precipitado e errado de mim. Tenho mais prazer em falar-lhe de outras coisas.
Mas independentemente de falarmos ou desabafarmos sobre a nossa vida, os afectos convêm sempre estar presentes.

E... Fenix, o facto de haver dias em que só queres morrer... não és o único!
Mas são momentos passageiros...
Temos de ter confiança em nós e em todo o processo da nossa existência.

Beijo

Eärwen Tulcakelumë disse...

Querido Amigo do Fogo

Nem sempre nos mostramos totalmente, talvez até por não nos conhecermos de todo.
Mas sim, conseguimos nos mostrar bastante para aqueles que nos lêem com a alma. Assim somos nós...”aves do fogo”.
Tinha saudades deste mundo.

Pérolas incandescentes de carinho amigo entrego em tuas mãos.

Eärwen

Haere Mai disse...

Deixo-te a minha sincera opinião. Não! Ninguém se conhece inteiramente só pela escrita. Podemos escrever sem nunca nos dar-mos a conhecer. Agora que a escrita é como a nossa impressão digital, disso não tenho qualquer dúvida. Podes escrever de mil formas e em varios estilos, mas o teu cunho estará sempre lá! E como poderias te dar a conhecer só atravez da escrita? Pergunto: Tu conheces-te? ès capaz de prever todas as tuas reaçoes em todas as circunstâncias? Estamos todos começados e nunca acabados! Esta frase diz tudo. Para a AnaMar: Ana podes ver mil vezes os olhos de alguem, conviver uma vida inteira e nunca conhecer uma pessoa.Porque nem tu te conheces verdadeiramente.
Beijo azul