domingo, 7 de setembro de 2008

Benditos...


Amargo o sabor da madrugada que se avizinha
Onde a luz do sol faz partir a minha…me ofusca
Onde a multidão desperta… caminha
Encostados uns nos outros…na sua busca!!!

Sentidos que se misturam em sentimentos confundidos
Correntes apertadas…redes em que me enredo
Sonhos dissolvidos no acido da certeza… perdidos
Mas jamais abandonados por temor ou medo…

Raios surgidos das promessas iluminadas
Daqueles que os corações jogam ao abandono
Realidades armadilhadas por outros inventadas
Que caem na verdade como folhas no Outono!!!

Chamas da constelação… mundo que em mim renasce
Bendita a noite onde voo ao meu destino …
Bendito tudo o que o meu coração abrace…
Bendito eu … o que sou e o que imagino!!!


Beijos e Abraços

Das Chamas do Fénix

6 comentários:

Paula disse...

Cuidado com as correntes apertadas e com as redes em que te envolves...Vê se te deixam respirar e ser tu mesmo!
Mas se o teu coração abraça essas redes então descansa e vive nelas...
Mas cuidado não saias ferido das correntes apertadas.

O poema ficou maravilhoso!

Beijo

NAELA disse...

Gostei da mao, perfeita, criativa que ditaram a melodia deste poema!
Beijo terno

Fatima disse...

Gosto do que leio nas entrelinhas dos teus poemas...
"Bentito tudo o que o teu coração abrace".

GBjo

FatimaTex

As Chamas do Fénix disse...

Paula…

Obrigado pelas tuas palavras… sábios conselhos os teus “Consciência” ;)

Uma Grande Chama para ti…Beijos

As Chamas do Fénix disse...

Naela…

E esta mão na sua imperfeição humana agradece o elogio…

Uma Grande Chama para ti… Beijos

As Chamas do Fénix disse...

Fatima…

Bendita tu que lês as entrelinhas do meus poemas…

Uma Grande Chama para ti… Beijos