segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Fronteiras Desconhecidas...



Labirintos ... corredores que se estreitam...falsas sendas
O mar azul que jaz negro sem o seu sol resplandecente
Rios vermelhos que correm debaixo da pele... velhas lendas
Madeixas de cabelo ao vento ... sulcadas pelo olhar inocente!!!

A rede que te cerca num emaranhado de incertezas...
Tentas no sono fintar aqueles nefandos espinhos
As feras que acossam as inocentes presas...
Presas nas algas que lhes vedam os caminhos!!!

O medo a atravessar a fronteira do desconhecido...
Vidas cruzadas no passado de cor escura
Exaltadas no canto do guerreiro de sorriso perdido...
Com a calma esquecida... mas de atitude madura!!!

Com a espada do espírito ceifa as âncoras por outros jogadas...
Que te sepultam nos sonhos sem luz... letargia
Acredita na fé que te move nas escolhas realizadas...
Existência que te tornas a dor em luz... pura magia !!!

Beijos e Abraços
Das Chamas do Fénix

5 comentários:

Shakti disse...

As fronteiras do desconhecido são sempre as mais apetecidas...trazem magia com elas...é tudo muito místico...


bjs

As Chamas do Fénix disse...

Nem sempre amiga... mas nunca podemos temer o avançar...

Uma Grande chama para ti... beijos

Gerlane disse...

Querido amigo,

Mesmo que seja em pura magia, precisamos acreditar em algo, caso contrário, perderemos rumos e andaremos vazios.

Deixas-me feliz quando me visitas! Obrigada!

Uma boa semana te desejo e, beijos te deixo!

As Chamas do Fénix disse...

Gerlane...

Feliz fico eu sempre que visito uma artista do teu calibre...
Por vezes é melhor andar vazio do que cheio de coisas que nos magoam...

Uma Grande Chama para ti... Beijos

Natália Bonito disse...

Um poema fronteiriço
Na encosta do rimar
Desconhecido murmúrio que é feitiço
Vontade imensa de atravessar.

Parabéns pelo poema. Simplesmente, mágico. Continuarei a acompanhar a tua escrita neste teu canto feito de chamas.

Cumprimentos poéticos,

Natália Bonito