quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Escrever e rescrever...a vida



Rabiscos, traços de um amor em construção...
Linhas avessas, desencontradas no caderno da vida
Borracha que se passa em cada contradição
Rasura que se rege em cada palavra indevida!!!

Somos senhores do destino que nos obriga a eleger...
Fugimos ao esquecimento que nos devora
Desgarramos a mão a cavar uma fuga, um amanhecer...
Gritamos aos ouvidos entorpecidos, que existe uma aurora!!!

Não queremos fazer parte deste jogo universal...
Nem queremos temer este marasmo castrador
Queremos provar aquele corpo ... o seu sabor a sal
Queremos acreditar que dentro de nós há um salvador!!!

Tomemos as rédeas da história ... com lápis de carvão
Se nascer em nós erro grosseiro ou contradição...
Voltemos a escrever ... a usurpar o papel ao escrivão
Para corrigir o erro da cobardia, consumada maldição!!!


Beijos e Abraços
Das Chamas do Fénix

4 comentários:

Fatima disse...

"Voltemos a escrever ... a usurpar o papel ao escrivão
Para corrigir o erro da cobardia, consumada maldição"

É forte... comovente...
É um momento de introspecção tão bem feita... que me senti personagem do seu poema!

GBjo

Fátima

mando disse...

gostei ;)

abraço...do mando...

Paula disse...

Temos mesmo de ir acreditando que dentro de cada um de nós existe mesmo um salvador, quanto mais não seja um salvador de nós próprios.
A existência humana sempre foi um conjunto de mistérios e paradoxos. O erro é positivo dado que serve para nos orientar para o caminho certo...

Não devemos exigir tanto de nós próprios ao ponto de nos caracterizarmos com predicados menos positivos.
A cobardia é apenas uma perspectiva. Por exemplo, o suicídio pode ser encarado como um acto ou não de coragem. Depende das circunstâncias... (Se me suicidar para salvar centenas de pessoas sou um herói, se me suicido para fugir aos meus problemas sou um cobarde) O que é importante é mantermos a serenidade que se quer aprendizagem.A vida é feita de tentativas, experiências e nada, mas mesmo nada é absoluto!

Adorei o poema pelo seu carácter existencialista.

Beijo

Shakti disse...

O bom uso do lápis de carvão
Torna a vida com mais sentido
Afinal no meio de tanta contradição
Somos sempre tidos como um ser ambíguo ...


gostei imenso deste teu poema!!

Bjs